23 outubro 2008

Polegar opositor

Outro dia, em resposta ao insuportável barulho de cadeiras sendo arrastadas, puxadas por alunos sempre atrasados para a aula, falei sobre o polegar opositor como diferenciação entre os homens e os porcos. É claro que lembrei de citar o Ilha das Flores, de Jorge Furtado, como fonte do raciocínio. Para quem não viu o sensacional curta gaúcho, Furtado apresenta o polegar como um grande diferencial entre as duas espécies. O outro diferencial apresentado é o cérebro evoluído. O polegar opositor proporciona um movimento de pinça, quando utilizado em sincronia com o dedo indicador e o médio. O cérebro permite pensar. Se as pessoas utilizassem o polegar opositor e um mínimo de massa cinzenta, utilizariam suas pinças naturais para pegar as cadeiras, levantá-las do chão e, silenciosamente, depositá-las em seus novos lugares.
Estas duas ferramentas que os homens apresentam como vantagem em relação aos porcos e à esmagadora maioria dos animais devem ser bem utilizadas por você nesse domingo. Não para mudar cadeiras de lugar, mas para escolher quem senta nelas. Nesse domingo, use seu polegar opositor para pegar seu título de eleitor. E utilize toda a capacidade do seu cérebro para escolher em quem votar. Simples assim.

4 comentários:

Mariana Lafuente disse...

Simples é pegar o título..bem que escolher os canditatos, poderia ser também. Dessa vez, eles é que poderiam usar melhor toda a capacidade do cérebro.

Jayme disse...

Bah, espero não ser um dos arrastadores de cadeiras(eu tb sempre chego atrasado). hehehee
E quanto ao Ilha das Flores um breve causo que não sei se o prof. tem conhecimento: diz a lenda que o filme se passa na ilha dos Marinheiros e não na Ilha das Flores. O caso é que o Furtado, que não tem anel de doutor mas não é bobo nem nada, achou que os porcos ali eram mais rechonchudos e as criancinhas mais famintas que na Ilha das Flores, então a coisa ficou assim, nome de uma, fome de outra. Isso (entre outras coisas) fez com que o filme sempre bailasse entre as classificações de documentário e ficção, o que na minha opinião não ofusca em nada o grande filme que é.
Um abraço do mais novo leitor do blog.

Taty disse...

Lembro dessa aula, sobre o Polegar opositor. Lembro que foi uma pequena advertência sem ser dura.
Graças que tenho chegado no horário que tem de ser.

Agora quanto a votar, quanto mais usamos nossa capacidade para esse tipo de assunto mais a gente se pergunta, onde estamos errando, porque tem que ser assim.
Seria tão mais fácil se esse povo fossem mais honestos e qualificados para ocupar um lugar de tal importância como essa cadeira.

Bom Final de Semana.

Eu disse...

Saudades de ti figura... Esse foi um dos documentários que mais me chocou, me fazendo enxergar a desigualdade e a que ponto o ser humano é capaz de chegar. Brilhantes textos. Estou adorando teu blog e já te adiconei no meu. Um grande beijo meu amigo.