06 janeiro 2009

Primeira dúvida de 2009

Neste fim de semana de ventania, eu estava assistindo, adivinhem, a Globo. Foi quando notei algo que aparece na telinha todos os dias, várias vezes por dia. E eu nunca prestei atenção.
Você já viu aquela tarja que surge no rodapé do vídeo, antes de o programa começar, que indica a idade recomendável para assisti-lo? Pois é. Está sempre lá escrito, algo do tipo “Programa recomendável para maiores de 14 anos”. E, ao lado, uma mocinha traduz a mensagem para a linguagem de Libras.
Você notou que eu disse que está lá “escrito”?
Se a mensagem está escrita, e não é falada, porque traduzir para Libras, a linguagem dos surdos mudos?
Raciocine comigo: nada foi falado, logo, alguém que não escuta não perdeu nada. Será que a mocinha está lá para fazer a comunicação com deficientes auditivos analfabetos?
Se ninguém tiver uma explicação convincente, trata-se de mais um caso do politicamente correto e idiota.

5 comentários:

Mariana Lafuente disse...

Já tinha reparado também!

Caroline Rodrigues disse...

Nunca tinha reparado! Mas é incrivel que quando se fala de inclusão as coisas sempre acabam em confusão! Para os deficientes visuais por exemplo, não e falada a idade apropriada, sera que só vale para o que se vê e não o que se ouve? Sera?

Caroline Rodrigues disse...

Postei um texto muito interessante do escritor mineiro RUBEM ALVES, da uma olhada! Abraços e Bom Verão!

Carol NIC disse...

Fala Palermo!

Eu já tinha reparado nisso. Sem contar que vi uma reportagem com um deficiente auditivo falando, através dos sinais, que a imagem é muito pequena, é muito difícil para eles entenderem a informação que está sendo transmitida.

Abraços dessa nova integrante da blogosfera.

Renata Polidoro disse...

olá professor!
olha só uma aluninha atrasada comentando...
é que estou aqui viajando pelo seu blog e acabei lendo este post mais antigo.
O que acontece é que devido ao fato de haver pouca inclusão no Brasil, são pouquíssimas escolas que ensinas a linguagem das libras em conjunto com a linguagem escrita, ou seja, muitos dos surdo-mudos acabam sem saber ler por falta de uma instrução adequada.
Beijos Palermo!